Trump defende paralisação futura do governo dos EUA e pede mudanças para facilitar aprovação de leis

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chegou ao cargo prometendo que iria produzir inúmeras vitórias que os norte-americanos ficariam cansados delas. Conforme ele luta para produzir vitórias, alguns sinais de frustração estão começando a aparecer.

As declarações alegres dos Democratas de que eles venceram os republicanos em uma batalha sobre o projeto de lei de gastos, que evitou a paralisação do governo, atraíram a ira do presidente. Os democratas estão felizes porque o financiamento da construção de um muro na fronteira no México não foi incluído no projeto de gastos.

Trump tuitou nesta terça-feira que talvez uma paralisação do governo não seria tão ruim e que os republicanos deveriam considerar mudar as regras do Senado para tornar mais fácil aprovar os gastos do governo e outras medidas sem qualquer apoio democrata.

"Nosso país precisa de uma boa paralisação em setembro para consertar a bagunça!" ele escreveu.

Seu comentário frustrou alguns de seus colegas republicanos no Congresso, que se irritaram com a sugestão de que a Casa Branca poderia ditar regras do Senado, ou enviar uma mensagem de que uma paralisação, que custa milhões para a economia, seja desejável.

"Acho que seria uma coisa boa neste momento se o iPhone fosse colocado em um cofre, trancado e talvez devolvido em quatro anos", disse a repórteres o senador republicano Bob Corker, que estava na lista para ser vice-presidente de Trump.

"Isso não é construtivo. Esse é o tipo de coisa que nunca deveria acontecer e ... está prejudicando nossa credibilidade", disse Corker.

Trump marcou seu 100º dia na presidência sábado e durante a semana passado argumento que fez um grande progresso na revisão da regulamentação federal e na melhora do clima para a criação de emprego.

Mas com seu esforço para reformar o sistema de saúde emperrado, Trump ainda não foi capaz de aprovar uma grande legislação no Congresso dos EUA controlado pelo seu próprio Partido Republicano.

Com os democratas celebrando as concessões que eles conseguiram no projeto de lei de gastos, Trump usou a cerimônia no Rose Garden para homenagear a equipe de futebol americano da Academia da Força Aérea na terça-feira para declarar que ele e os republicanos conseguiram mais da legislação do que poderia parecer.

"Depois de anos de discussões partidárias e impasses, este projeto de lei é uma vitória clara para o povo americano", disse Trump.

O diretor de Orçamento da Casa Branca, Mick Mulvaney, fez três coletivas de imprensa para ressaltar os ganhos de Trump no projeto de lei.

Na Casa Branca, Mulvaney disse que entende a frustração de Trump, acusando os democratas de tentar celebrar publicamente o acordo orçamentário como uma vitória democrata em um esforço para fazer o presidente ficar mal, depois que ele negociou de boa fé.

Ele disse que os democratas foram frustrados por republicanos na tentativa de adicionar dinheiro de resgate para Porto Rico.

"Nós temos muito a fazer entre agora e setembro, não antevejo uma paralisação em setembro, mas se os democratas não se comportarem melhor do que nos últimos dois dias, pode ser inevitável", disse Mulvaney em uma coletiva de imprensa.