Trump diz que virada de cenário é algo 'MUITO ESTRANHO', e Twitter questiona o questionamento presidencial

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Donald Trump voltou a lançar dúvidas sobre a apuração eleitoral nos EUA, com a disputa acirrada e a vantagem que ele parecia manter sobre o democrata Joe Biden em locais que ainda não tinham completado a apuração se dissipando aos poucos. Menos de uma hora depois, o Twitter marcou a mensagem presidencial como conteúdo duvidoso: "Alguns ou todos os conteúdos compartilhados neste Tweet são contestáveis e podem ter informações incorretas sobre como participar de uma eleição ou de outro processo cívico". Dos 50 estados, 7 ainda não concluíram sua apuração e não apontaram vencedor: Alaska, Nevada, Carolina do Sul, Geórgia e três dos do chamado Cinturão da Ferrugem, Michigan, Wisconsin e Geórgia. No início da madrugada, Trump liderava nesses três e na Geórgia, mas a situação se inverteu quando foram computados votos de sessões eleitorais de locais mais urbanos ou de população negra maior, que tendem a se alinhar aos democratas. Exemplos são o condado de DeKalb, na Geórgia, na grande Atlanta, e Filadélfia, na Pensilvânia. "Na noite passada eu liderava, geralmente de forma concreta, em vários dos estados decisivos e em quase todas as instâncias que os democratas competiram e controlam. Então, um a um, eles começaram a magicamente desaparecer conforme votos despejados de surpresa eram contados. MUITO ESTRANHO, e os "pesquisadores" entenderam completa & historicamente errado!", escreveu no Twitter. Trump tem desacreditado o sistema de votação antecipada pelo correio desde antes das eleições, e ameaça contestar os resultados na Suprema Corte do país. O país registrou recorde de participação nesta modalidade neste ano por causa da pandemia do novo coronavírus. A maior parte dos votos que viraram o cenário ao longo da madrugada, porém, são votos depositados nas urnas no dia da eleição, terça (3). A inversão de resultados ao longo da apuração é comum nos EUA, já que o país não tem um órgão equivalente ao nosso TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que conduza as apurações e compile em tempo real todos os resultados. Após o Twitter marcar a mensagem de Trump como possivelmente enganosa, o presidente retrucou: "O que é isso?" A contagem é feita seção por seção, e depois condado por condado, até que se chegue ao resultado do estado e ele seja somado, por jornalistas, pesquisadores e estrategistas, no complexo mapa do Colégio Eleitoral americano. Em disputas acirradas, os resultados de poucos condados podem definir toda a eleição.