Trump e Bolsonaro terão jantar reservado em Palm Beach

Pedro Rafael Vilela - Repórter da Agência Brasil

O encontro entre os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump, em Palm Beach, na Flórida, será um jantar reservado na noite deste sábado (7). O brasileiro será acompanhado por um grupo restrito de quatro pessoas, no resort Mar-a-Lago, de propriedade de Trump. Referindo-se ao norte-americano como amigo, Bolsonaro postou uma mensagem no Twitter em que disse que ambos vão discutir "ações para aprofundar a cooperação entre Brasil e EUA nas áreas comercial, econômica e de defesa".

Ao chegar no Palácio do Alvorada, no final da tarde desta sexta-feira (6), ele também comentou sobre a expectativa para o novo encontro.

"Eu vejo que, depois de longos anos, décadas, de os governos brasileiros terem uma certa desconfiança do governo americano, essa desconfiança acabou, e queremos nos unir, nos aproximar cada vez mais. E devemos nos juntar com todos os países, mas em especial com os países melhores do que nós", afirmou. Este será o quarto encontro entre Bolsonaro e Trump desde que o presidente brasileiro assumiu o mandato, no ano passado. 

Defesa

Na pauta do jantar, um dos principais temas deve ser em relação a acordos de cooperação na área de defesa. 

"Está previsto o general Fernando [Azevedo, ministro da Defesa] ir conosco. Então vai ser tratado, sim. Nós ficamos no tempo na questão de defesa. Defesa é investimento. Em especial, quando é através de pesquisa. Agora, o Brasil não pode ficar tão desguarnecido como está por sucateamento do seu material, que foi levado com muita ênfase nos últimos anos por um projeto de poder. As Forças Armadas despreparadas, desmotivadas, é um terreno fértil para que alguns aventureiros, ditadores, avancem em seus propósitos", disse.

Visita

A comitiva presidencial brasileira embarca na manhã deste sábado (7) para uma viagem de quatro dias à Flórida. A maior parte da agenda ocorrerá em Miami e inclui encontros com políticos e empresários norte-americanos, assinatura de acordos e visita às instalações militares do Comando Sul, a unidade das Forças Armadas dos Estados Unidos responsável pela cooperação de segurança e operações militares nos países da América Central e do Sul. 

A chegada de Bolsonaro e ao menos seis dos seus ministros a Miami está prevista para as 15h30, horário local. O retorno ao Brasil ocorre na quarta-feira (11).