Trump enaltece vendas militares dos EUA para Arábia Saudita e elogia príncipe herdeiro

Por Steve Holland e Yara Bayoumy
Trump se reúne com príncipe saudita Mohammed bin Salman 20/3/2018 REUTERS/Jonathan Ernst

Por Steve Holland e Yara Bayoumy

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou nesta terça-feira o poderoso príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, e enalteceu vendas de defesa dos Estados Unidos como um impulso para empregos norte-americanos, mesmo com o envolvimento de Riad na guerra civil do Iêmen enfrentando críticas.

No Salão Oval, Trump e o príncipe herdeiro enalteceram a força de laços entre EUA e Arábia Saudita, que haviam ficado mais tensos sob o governo Obama em parte por visões divergentes em relação ao Irã, rival regional de Riad.

    Diferentemente de Trump, que assumiu uma postura linha-dura contra o Irã similar à do príncipe herdeiro saudita, que comparou o líder supremo do Irã a Adolf Hitler.

    As conversas foram parte da primeira visita do príncipe aos Estados Unidos desde que se tornou no ano passado o herdeiro aparente para suceder o rei Salman.

    O tratamento de tapete vermelho de Trump destacou o forte apoio de seu governo ao príncipe herdeiro, que realizou uma operação anticorrupção que consolidou seu poder e cujas agressivas políticas externas têm causado inquietação entre alguns aliados ocidentais.

Ao mesmo tempo, o reino tem testemunhado um cauteloso novo clima de liberdades sociais com a ascensão do príncipe herdeiro de 32 anos ao poder após décadas de governantes mais velhos.

    Trump e o príncipe Mohammed discutiram um acordo no ano passado para 200 bilhões de dólares em investimentos sauditas com os EUA, incluindo grandes compras de equipamentos militares norte-americanos. Trump disse que as vendas militares contribuíram para a criação de 40 mil empregos norte-americanos.

    Trump apresentou gráficos para mostrar a profundidade de compras sauditas de equipamentos militares norte-americanos, variando de navios e sistemas de mísseis a aviões e veículos de combate.

“A Arábia Saudita é uma nação muito rica, e eles vão dar aos Estados Unidos parte desta riqueza, esperançosamente, na forma de empregos, na forma de compra dos melhores equipamentos militares de qualquer lugar do mundo”, disse a repórteres.

    O príncipe herdeiro, que também é o ministro da Defesa, está em uma jornada de relações públicas enquanto viaja aos Estados Unidos, com paradas em Nova York, Boston, Seattle, Los Angeles, San Francisco e Houston para cultivar investimentos.