Trump adia para domingo ato com candidato acusado de agressão sexual

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
O ex-presidente Donald Trump, fotografado durante um comício de 2021 na Geórgia, tem uma longa história de apoio a figuras públicas problemáticas (AFP/MANDEL NGAN) (MANDEL NGAN)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, participará de um comício no domingo (1º) em apoio a um candidato acusado de agredir sexualmente oito mulheres, inclusive uma senadora estadual.

Charles Herbster, um pecuarista bilionário de 67 anos, rejeitou as acusações, mas enfrenta a reação dos conservadores do Nebraska, onde concorre para ser o futuro governador.

O ato, previsto inicialmente para esta sexta-feira nos arredores de Omaha, foi adiado em dois dias devido a um alerta de mau tempo na região, explicou a organização "Save America" de Donald Trump.

"Devido às inclemências do tempo, com possíveis ventos de mais de 100 km/h, chuva de granizo e, possivelmente, tornados, não viajarei a Nebraska esta noite", escreveu o ex-presidente em comunicado, no qual anuncia que o comício será no domingo pela noite "se o clima permitir".

A senadora estadual, Julie Slama, declarou há duas semanas ao jornal Nebraska Examiner que Herbster havia colocado a mão por baixo de sua saia e a molestado durante um evento em 2015. Outras sete mulheres também o acusam anonimamente de abuso sexual.

"Não busco atenção da mídia nem nenhum outro benefício. Eu simplesmente não ia mentir e dizer que não aconteceu", afirmou Slama, que tinha 22 anos na época do abuso, em um comunicado.

Herbster, cuja fortuna vem em parte da venda de sêmen de touro, foi descrito como um "orador convidado especial" pelos organizadores do evento "Save America" de Trump, em um hipódromo nos arredores de Omaha.

Trump foi informado por seus assessores no início deste mês sobre essas acusações, segundo a revista Politico, mas o líder republicano redobrou a aposta e pressionou para que Herbster se defendesse.

O pecuarista descreveu o escândalo como uma "campanha de desprestígio" similar às tentativas de ataque a Trump, que foi acusado de conduta sexual inapropriada por mais de duas dezenas de mulheres.

Trump, de 75 anos, tem um longo histórico de apoio a figuras públicas acusadas de má conduta, como o ex-assessor da Casa Branca Rob Porter, demitido após ser acusado de ter agredido duas de suas ex-esposas.

A corrida pela nomeação republicana para o governo de Nebraska, em 10 de maio, está sendo disputada por três pessoas: Herbster, o bilionário criador de porcos Jim Pillen e o senador estadual Brett Lindstrom.

O apoio de Trump a Herbster irritou grande parte dos grupos influentes do partido republicano de Nebraska, estado em que o magnata nova-iorquino venceu em 2020.

ft/bgs/ps/rsr/gf/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos