Trump processa procuradora-geral de NY para impedir inquérito sobre empresas

·1 min de leitura
Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos

Por Brendan Pierson

NOVA YORK (Reuters) - O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump processou, nesta segunda-feira, a procuradora-geral do Estado de Nova York Letitia James, na tentativa de interromper o inquérito liderado por ela sobre suspeita de fraude nas empresas de Trump.

O ex-presidente abriu o processo no tribunal federal em Syracuse, Nova York, após a informação de que o gabinete de James iria buscar interrogar Trump sobre sua empresa, a Trump Organization, e as acusações de manipular avaliações de propriedades imobiliárias.

Trump e sua empresa, que também é investigada no caso, afirmam que James violou seus direitos de acordo com a Constituição dos Estados Unidos e buscou uma investigação com motivações políticas.

"Ao abrir esse processo, temos a intenção de não apenas responsabilizá-la por violações constitucionais flagrantes, mas também impedir sua cruzada amarga para punir seus adversários políticos", disse a advogada de Trump, Alina Habba, em nota.

James rebateu, também em nota: "Nossa investigação continuará inabalada pois ninguém está acima da lei, nem mesmo alguém com o sobrenome Trump".

O inquérito é relacionado a uma investigação de mais de três anos movida pelo procurador distrital de Manhattan Cyrus Vance sobre as práticas empresariais da Trump Organization. James se envolveu no caso em maio.

A inflação inclui um foco sobre se a Trump Organization teria inflado o valor real de alguns ativos imobiliários para obter empréstimos e benefícios fiscais.

(Reportagem de Brendan Pierson, em Nova York)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos