Trump responde a Biden e acusa-o de ser "um inimigo do estado"

Donald Trump respondeu, este sábado, num comício no Estado da Pensilvânia, às acusações feitas por Joe Biden. O Presidente dos Estados Unidos disse, na semana passada, que Trump e os seus apoiantes "representam um extremismo que ameaça as fundações da república".

Agora, em Wilkes-Barre, localidade perto da terra natal de Joe Biden, o milionário norte-americano não demorou a dar uma resposta: "Ele é um inimigo do Estado. Querem saber a verdade? O inimigo do Estado é ele e o grupo que o controla".

Naquela que é a sua primeira aparição pública, após as buscas feitas pelo FBI à sua casa, em Mar-a-Lago, no Estado da Flórida, Trump resolveu pronunciar-se sobre o assunto.

"A vergonhosa rusga e invasão da minha casa, em Mar-a-Lago, foi uma farsa da justiça, que ridicularizou as leis, tradições e princípios da América, perante o mundo inteiro. O mundo todo estava a assistir. Todos ficaram chocados”, disse o antigo chefe de estado americano.

No início do mês de agosto, o FBI encontrou dezenas de documentos secretos e ultrasecretos na casa de Trump e descobriu ainda pastas vazias identificadas como confidenciais.

Eric Tucker, jornalista que faz a cobertura sobre a segurança nacional no departamento de justiça e FBI para a Associated Press falou sobre as buscas feitas pela polícia.

"Um elemento intrigante que tenho a certeza que os investigadores estão a tentar compreender melhor é a descoberta de dezenas de pastas vazias contendo indicações de que eram secretas. E não está nada claro no documento da investigação o que constava nessas pastas. O que aconteceu a esses documentos?”, questionou.

O FBI levou a cabo estas buscas por acreditar que o antigo presidente retinha, de forma ilegal, documentos confidenciais que levou para a Flórida, após sair da Casa Branca.