Trump se reúne com líder republicano no Congresso e recupera forças

·2 minuto de leitura

Donald Trump se reuniu nesta quinta-feira, na Flórida, com o líder da minoria opositora na Câmara dos Representantes, Kevin McCarthy, em meio a um cabo de guerra sobre o futuro do Partido Republicano, com a liderança do Congresso parecendo ansiosa para apresentar uma frente unida contra o ex-presidente.

A recuperação da Câmara em 2022 foi o tema principal da reunião, realizada no clube de Trump em Palm Beach, de acordo com uma leitura oferecida pelo Save America, comitê de ação política ligado ao ex-presidente.

"A popularidade do presidente Trump nunca esteve tão forte quanto hoje", afirmou McCarthy, que apoiou as acusações de fraude eleitoral feitas pelo ex-presidente, mas se afastou do mesmo depois que ele foi acusado de incentivar a invasão ao Capitólio no começo do mês. Nesta quinta-feira, no entanto, mostrou-se novamente próximo de Trump, aparecendo sorridente ao seu lado em uma fotografia.

"O presidente Trump se comprometeu a ajudar a vitória dos republicanos na Câmara e no Senado em 2022", indicou McCarthy, em um comunicado no qual também atacou os democratas, por "acusarem um presidente que, agora, é um cidadão comum. Um movimento conservador unido fortalecerá os laços dos nossos cidadãos e defenderá as liberdades sobre as quais nosso país foi fundado."

A representante democrata Katherine Clark expressou surpresa pelo fato de McCarthy ter se alinhado a Trump após a invasão ao Capitólio. Após ser acusado pela segunda vez no Congresso, fato sem precedentes para um presidente na história americana, não estava claro quanta influência política Trump manteria ao deixar a Casa Branca.

Após a divulgação de pesquisas que revelam o amplo apoio recebido por Trump em seu partido, líderes republicanos afirmaram que irão permanecer na órbita do ex-presidente, ou, pelo menos, não romperão publicamente com o mesmo.

Se Trump for condenado no julgamento político que terá início em fevereiro, o partido se verá enfraquecido severamente em suas aspirações de retomar dos democratas o controle do Congresso. "No partido, você tem a ala Trump, que deseja expurgar aqueles que resistiram às mentiras do presidente, e tem a ala do establishment, que deseja expurgar os apoiadores de Trump", disse ao canal MSNBC o ex-congressista republicano Carlos Curbelo. "Neste momento, está claro que a ala Trump é dominante".

mlm/bfm/dg/yow/lb