Putin agradece aos russos pelo "histórico apoio" recebido nas eleições

Moscou, 23 mar (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, agradeceu nesta sexta-feira pelo "histórico apoio" recebido nas eleições do último domingo, nas quais foi reeleito com 76,69% dos votos, em mensagem televisionada à nação.

"É o maior nível de apoio na história do nosso país", afirmou Putin, ao apontar que, segundo o resultado definitivo da votação, anunciado hoje pela Comissão Eleitoral Central (CEC), 56.430.712 de eleitores votaram nele.

O chefe do Kremlin se comprometeu a cumprir todas as suas promessas eleitorais e disse que respeita a postura dos cidadãos que votaram em outros candidatos.

"Considero que esta grande atividade popular, a responsabilidade de vocês e a consolidação são extremamente importantes, sobretudo nas condições atuais, quando enfrentamos complexos desafios internos e externos".

Putin disse que conhece "bem" os problemas que afetam os russos e que considera justas as críticas pela contração da economia e os problemas em matéria de Saúde e outros âmbitos.

"No apoio de vocês vejo em primeiro lugar esperança de mudanças para melhor".

O presidente russo ressaltou que o país precisa de um salto adiante, e acrescentou que a elevada participação popular nas eleições evidencia a disposição dos russos em se engajar neste trabalho.

"Estou consciente da colossal responsabilidade que tenho diante dos cidadãos da Rússia, diante do país. Tudo o que disse durante a campanha eleitoral deve ser cumprido", disse.

Putin acrescentou que seria "irresponsável prometer que tudo será feito imediatamente, agora mesmo, que tudo mudará em um instante".

O chefe do Kremlin se dirigiu a todas as forças políticas do país para manifestar que as "críticas, os debates, as discussões são importantes", mas ressaltou que "o populismo irresponsável não deve ter um lugar".

"Os interesses nacionais e o bem-estar do povo devem ser, sobretudo agora, as principais referências", indicou Putin, que também ressaltou que as "preferências políticas" não devem dividir os russos.

"Todos nós somos patriotas e temos uma preocupação em comum: a Rússia e seu esplendor". EFE