Trump veta projeto de lei de defesa, apesar do forte apoio do Congresso

Patricia Zengerle
·1 minuto de leitura

Por Patricia Zengerle

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vetou nesta quarta-feira projeto de lei de 740 bilhões de dólares que estabelece diretrizes para o Departamento de Defesa, apesar do forte apoio no Congresso, levantando a possibilidade que a medida não se torne lei pela primeira vez em 60 anos.

Trump disse que vetou a Lei de Autorização de Defesa Nacional, ou NDAA, porque "não inclui medidas essenciais de segurança nacional, inclui disposições que não respeitam nossos veteranos e a história de nossas forças armadas e contradiz os esforços de minha administração para colocar os Estados Unidos em primeiro lugar em nossas ações de política externa e segurança nacional".

"É um 'presente' para a China e a Rússia", disse ele em mensagem à Câmara dos Deputados.

Embora seus oito vetos anteriores tenham sido todos mantidos graças ao apoio dos correligionários republicanos no Congresso, assessores disseram que este tem probabilidade de ser anulado, poucas semanas antes de ele deixar o cargo em 20 de janeiro.

Tanto o Senado, controlado pelos republicanos, quanto a Câmara, de maioria democrata, aprovaram o NDAA de 2021 com margens maiores do que a maioria de dois terços necessária para anular um veto.

Isso significa que Trump teria que persuadir dezenas de seus companheiros republicanos a jogar fora o trabalho de quase um ano no projeto de lei de 4.500 páginas e começar de novo.

Os parlamentares se orgulham do projeto ter se tornado lei todos os anos desde 1961, dizendo que ele reflete seu apoio aos militares.

(Reportagem adicional de Steve Holland)