Trump veta resolução do Congresso que limita seus poderes de guerra com Irã

O presidente americano Donald Trump voltou a criticar a China

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vetou nesta quarta-feira (6) uma resolução do Congresso que chamou de "muito ofensiva" e limitava seus poderes de guerra no Irã.

Em um comunicado, Trump disse que usou seu veto porque a resolução - uma rara repreensão bipartidária ao presidente aprovada em março - se baseou em "mal-entendidos de fatos e leis".

A medida surgiu de temores entre republicanos e democratas em relação a ações de Trump contra a república islâmica que poderiam levar os Estados Unidos à guerra.

No comunicado, Trump diz que o Congresso interpretou mal sua autoridade constitucional como sendo limitada à "defesa dos Estados Unidos e suas forças contra ataques iminentes".

"Isso está incorreto", disse. "Vivemos em um mundo hostil de ameaças em evolução, e a Constituição reconhece que o presidente deve ser capaz de antecipar os próximos movimentos de nossos adversários e tomar ações rápidas e decisivas em resposta. Foi o que eu fiz!".

Os defensores da resolução disseram que queriam garantir que o Congresso tivesse o poder único de declarar guerra, conforme descrito na Constituição americana.

Trump pregou a necessidade de uma retirada das tropas militares americanas no exterior, mas aumentou o clima hostil com o Irã.

Entre as hostilidades, Washington impôs fortes sanções econômicas ao Irã e, em janeiro, Trump ordenou um ataque de drones que matou o general mais poderoso da república islâmica, Qassem Soleimani, no aeroporto de Bagdá.