Site e bolsonaristas são multados por novos posts sobre Marcola e Lula

Para Alexandre de Moraes, não há uma declaração de voto explícita de Marcola em Lula (Foto: Mateus Bonomi/Anadolu Agency via Getty Images)
Para Alexandre de Moraes, não há uma declaração de voto explícita de Marcola em Lula (Foto: Mateus Bonomi/Anadolu Agency via Getty Images)

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), multou em R$ 15 mil o site O Antagonista e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) por novas publicações envolvendo o Marcola, líder da facção criminosa PCC, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que disputa o segundo turno com Bolsonaro no dia 30 de outubro. A informação é do portal UOL.

Decisão de domingo (2) determinou que esse tipo de publicação fosse removida das redes e eles não compartilhassem mais conteúdos semelhantes.

Além do site, o jornalista Cláudio Dantas, o senador Flávio Bolsonaro (PL), Kim Paim, Bernardo Kuster, Leandro Ruschell e Barbara Destefani, que administra um perfil apoiador de Bolsonaro no Twitter, terão de pagar a multa.

O site O Antagonista publicou uma matéria dizendo que Marcola declarou voto em Lula. No entendimento do ministro, porém, isso não aconteceu. O portal divulgou partes de diálogos interceptados pela PF (Polícia Federal), em maio do ano passado, em que o líder do PCC comenta o cenário eleitoral.

Ele diz que Lula é "pilantra", mas que Bolsonaro seria "sem futuro”. "Lula também é sem futuro, só que entre os dois, não dá nem para comparar um com o outro”, falou. Na avaliação de Moraes, não há uma declaração de voto explícita de Marcola.

Na nova decisão, ainda de acordo com o portal UOL, o presidente do TSE afirmou que os alvos da representação estão proibidos de fazer novas publicações sobre o assunto, e aumentou para R$ 30 mil a multa diária caso eles continuem a fazer compartilhamentos.

O valor vale para cada um dos alvos individualmente. Além disso, serve para manifestações em qualquer meio de comunicação.