TSE autoriza Tabata Amaral a se desfiliar do PDT, em vitória para movimentos de renovação política

·1 minuto de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 19.02.2020 - Deputado Tabata Amaral (PDT-SP) durante entrevista no estúdio Folha/UOL, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 19.02.2020 - Deputado Tabata Amaral (PDT-SP) durante entrevista no estúdio Folha/UOL, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) autorizou nesta terça-feira (25) a deputada federal Tabata Amaral (SP) a se desfiliar do PDT, sob a alegação de justa causa, depois de ter votado a favor da reforma da Previdência, em 2019. A decisão é considerada uma vitória para movimentos de renovação política.

Com a decisão, Tabata poderá deixar o partido sem perder o mandato parlamentar.

Dos sete ministros da corte, seis, incluindo o relator do processo, ministro Sérgio Silveira Banhos, votaram pela procedência do pedido de desfiliação. Só o ministro Edson Fachin votou contra o pleito.

Em abril, o TSE concedeu vitória semelhante aos deputados Felipe Rigoni (ES) e Rodrigo Coelho (SC), que ganharam o direito de deixarem o PSB preservando o mandato. Eles também foram enquadrados pelo PSB por votarem a favor da reforma da Previdência.

Rigoni é colega de Tabata no Acredito e também passou pela escola de formação RenovaBR.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos