TSE avalia fechar clubes de tiro nos dias de eleição, diz Moraes

Medida que analisa o fechamento de clubes de tiros no dia das eleições foi retomada hoje por Moraes durante sessão de julgamentos. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Medida que analisa o fechamento de clubes de tiros no dia das eleições foi retomada hoje por Moraes durante sessão de julgamentos. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • TSE avalia fechar clubes de tiro durante os dias de eleição;

  • Proposta foi feita por delegados que integram o Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil;

  • Objetivo é garantir a segurança da população e realizar "eleições tranquilas".

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), afirmou nesta quinta-feira (22) que a Corte avalia fechar clubes de tiro nos dias das eleições. A proposta foi feita por delegados que integram o Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil.

Na última terça-feira (20), o ministro e os Chefes da Polícia Civil se reuniram para debater como garantir a segurança da população no 2 de outubro, data do primeiro turno. Na ocasião, a ideia foi citada, segundo O Globo, e retomada hoje por Moraes durante sessão de julgamentos. Segundo ele, o Poder Judiciário e a Justiça Eleitoral estão preparados para garantir “eleições tranquilas”.

“O Poder Judiciário se preparou para isso, os nossos núcleos de inteligência estão preparados, então eu quero garantir que não só desses 10 dias que faltam para o primeiro turno, mas depois, que teremos eleições tranquilas, eleições seguras”, afirmou.

Além da medida em avaliação, a Corte determinou a proibição de armas no raio de 100 metros dos locais de votação, incluindo dentro das seções eleitorais. Entretanto, o TSE ainda analisa como fiscalizará os CACs (caçadores, atiradores e colecionadores), de forma a impedir que portem armas no dia.

No sábado passado (17), Moraes também autorizou o envio de militares das Forças Armadas para reforçar a segurança do pleito em 568 localidades de 11 estados. Na terça-feira, o Ministério da Defesa informou que vai apoiar o TSE com o envio de tropas para garantir a logística de distribuição das urnas e a segurança das eleições.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: