TSE emite zerésima para mostrar que sistema de totalização está zerado

*** FOTO DE ARQUIVO *** SÃO PAULO, SP, 22.08.2022 - Ensaio das urnas eletrônicas armazenadas na 1ª Zona Eleitoral de São Paulo. Fotos do local de armazenagem e dos dois modelos que serão usados. A urna mais nova será utilizada pela primeira vez nesta eleição.  (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)
*** FOTO DE ARQUIVO *** SÃO PAULO, SP, 22.08.2022 - Ensaio das urnas eletrônicas armazenadas na 1ª Zona Eleitoral de São Paulo. Fotos do local de armazenagem e dos dois modelos que serão usados. A urna mais nova será utilizada pela primeira vez nesta eleição. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) realizou neste sábado (29) a emissão da zerésima do sistema de totalização, relatório impresso que mostra que não há voto registrado na ferramenta usada pela corte para somar os votos depositados nas urnas eletrônicas.

O procedimento também foi feito às vésperas do primeiro turno e integra uma das etapas tradicionais de verificação dos sistemas eleitorais.

A demonstração foi acompanhada por representantes do Ministério Público Eleitoral, Forças Armadas, CGU (Controladoria-Geral da União), CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público), OAB, PF (Polícia Federal), observadores internacionais da OEA (Organização dos Estados Americanos), além dos partidos PCdoB, PV e Cidadania.

A zerésima foi assinada pelas Forças Armadas, CNMP, OAB e CGU.

O TSE também verificou neste sábado que os softwares utilizados são os mesmos que foram lacrados em 2 de setembro.

"Esses sistemas, lacrados no dia 2 de setembro, passaram por uma etapa de fiscalização que durou um ano. E, a partir daí, nós lacramos aquilo que foi fiscalizado, e acompanhado com toda transparência pelas entidades fiscalizadoras", afirmou o secretário de Tecnologia do TSE, Júlio Valente.

"O que nós comprovamos agora é que aquilo que está sendo, de fato, executado, os sistemas que estão no ar são aqueles que foram lacrados", complementou.

Na manhã de votação, às 7h, cada urna eletrônica também emite a zerésima para mostrar que nenhum voto foi registrado no começo da eleição.

A cerimônia deste sábado estava prevista para começar às 12h, mas foi remarcada para 14h30. O TSE afirmou que, por segurança, a rede é fechada para acessos externos na sexta-feira, o que também dificultou o acesso interno no momento.