TSE manda Eduardo Bolsonaro apagar post sobre Lula apoiar invasão a igrejas

Eduardo Bolsonaro (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)
Eduardo Bolsonaro (Foto: Andressa Anholete/Getty Images)

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) determinou nesta segunda-feira (5) que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) apague de suas redes sociais publicações em que acusa o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT (Partido dos Trabalhadores) de apoiarem invasões a igrejas e perseguição a cristãos. O parlamentar terá cumprir a ordem em até 24 horas.

A decisão foi assinada pela ministra Cármen Lúcia que, segundo o portal Metrópoles, também estipulou uma multa diária de R$ 50 mil caso o filho do presidente Jair Bolsonaro (PL) publique novamente conteúdo falso.

No documento, a ministra afirma que a postagem é uma ofensa “à honra e imagem de pré-candidato à presidência da República, com divulgação de informação sabidamente inverídica”.

Ainda de acordo com o portal Metrópoles, a ação foi movida pela coligação Brasil da Esperança, que tem o petista como candidato.

“Lula nunca fechou nem vai fechar igrejas. O ex-presidente sempre respeitou todas as religiões e acredita que a liberdade religiosa é fundamental para a democracia, assim como sabe que a liberdade de crença e culto é um direito assegurado a todos os brasileiros”, afirmou a defesa do ex-presidente.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)