TSE neutraliza tentativa de ataque virtual, Barroso diz que não há impacto sobre eleição

Por Maria Carolina Marcello
·2 minuto de leitura

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Roberto Barroso, afirmou que foi neutralizada uma tentativa de ataque virtual aos sistemas do TSE e que isso não afetou a realização das eleições municipais neste domingo.

O ministro lembrou que as urnas de votação não estão conectadas à rede, motivo pelo qual não podem ser violadas, e ressaltou que o tribunal já havia tomado uma série de medidas de segurança, na esteira do ataque hacker ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) no início do mês.

"Houve uma tentativa de ataque hoje, com grande volume de tentativas de acesso simultâneas", disse o presidente do TSE a jornalistas.

"Foi totalmente neutralizado pelo TSE e pelas operadoras de telefonia, e portanto, também, sem qualquer repercussão sobre o processo de votação", afirmou.

Segundo ele, um dos procedimentos de segurança adotados foi o desligamento de um dos principais servidores, além de um backup das informações mais importantes, retiradas de rede, como garantia para o caso de ataque bem-sucedido.

"As urnas já estavam todas devidamente carregadas e estão todas elas fora de rede, e portanto eventuais ataques cibernéticos não têm o condão de afetar o processo de votação, porque as urnas não funcionam em rede", acrescentou.

O presidente do TSE comentou ainda notícias na imprensa dando conta do vazamento de informações de funcionários do tribunal e disse ter "razões" para afirmar que trata-se de uma invasão antiga.

Ao abordar o andamento do processo eleitoral, o ministro relatou clima normal, baixo número de ocorrências e a inexistência de aglomerações. Também informou que não houve registro de descumprimento da obrigatoriedade de uso de máscaras, medida adotada pela Justiça Eleitoral para evitar a disseminação do coronavírus.

"Sobre a normalidade das eleições, tudo está assustadoramente normal em toda parte do Brasil", garantiu Barroso, segundo quem 1.700 urnas tiveram de ser substituídas sem grandes problemas.

Barroso reconheceu que a pandemia possa ter efeito no nível histórico de abstenções, em torno de 20%, mas manifestou o desejo que as eleições deste domingo mantenham o patamar. Admitiu, no entanto, que não é possível "fechar os olhos" para a realidade.