TSE quer proibir porte de arma de CACs no dia das eleições

Pedido para proibição de porte de arma por cidadãos foi feito pela oposição do governo. (Foto: Getty Images)
Pedido para proibição de porte de arma por cidadãos foi feito pela oposição do governo. (Foto: Getty Images)
  • Alexandre de Moraes se reuniu com comandantes-gerais da PM

  • Porte de arma deverá ser exclusivo das forças de segurança

  • Decisão final será tomada na próxima terça-feira (30)

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), debateu nesta quarta-feira (24) a possibilidade de limitar o porte de arma de Caçadores, Atiradores e Colecionadores (CACs) no dia das eleições com 27 comandantes-gerais da Polícia Militar.

Deputados de oposição ao governo enviaram ao TSE, em julho, um pedido de proibição de porte de armas de todos os cidadãos no dia do pleito, que acontece em 2 de outubro, menos de forças de segurança pública e das Forças Armadas. O tema será analisado pela Corte na próxima terça-feira (30). As informações são do portal G1.

A relatoria do pedido da oposição é do ministro Ricardo Lewandowski, vice-presidente do TSE. Ele também participou da reunião com os comandantes-gerais.

Os PMs teriam garantido que as forças de segurança estão preparadas para atuar na segurança das eleições e dos cidadãos no dia das eleições.

“Cada um dos comandantes foi enfático, em uníssono, em externar que as tropas estão sob controle. Nós temos tropas disciplinadas”, disse o comandante da PM de Rondônia, coronel James Padilha, na saída do encontro.

Moraes requisitou dos comandantes um planejamento de ação para os dias de votação do primeiro e possível segundo turno.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022: