TSE recebe credenciamento de 8 entidades nacionais para participar como observadoras das eleições

Funcionárias da Justiça Eleitoral preparam urnas eletrônicas para as eleições de 2018, em Curitiba

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou nesta terça-feira ter recebido o credenciamento de oito entidades para participar das Eleições 2022 com missões nacionais de observação eleitoral, na primeira vez que ocorre o chamamento de representantes de dentro do país.

Foram habilitadas a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos (Anadep), Associação Juízes para a Democracia (AJD), Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), Sociedade de Ensino Superior de Vitória (Faculdade de Direito de Vitória - FDV), Transparência Eleitoral Brasil; Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e a Universidade de São Paulo (USP).

Segundo o tribunal, o estímulo à participação de missões de observadores está na fronteira das melhores práticas internacionais e atende a uma das recomendações da Organização dos Estados Americanos (OEA) em 2018 para este ramo da Justiça.

O TSE também convidou um número recorde de observadores internacionais para acompanhar o pleito em outubro, como a própria OEA.

A iniciativa do tribunal decorre da busca de ampliar a legitimidade do sistema eleitoral no momento em que o presidente Jair Bolsonaro (PL), pré-candidato à reeleição, tem feito sucessivos ataques ao voto em urnas eletrônicas.

Na segunda-feira, Bolsonaro disse em encontro a embaixadores que observadores internacionais não iriam acompanhar as eleições brasileiras para dar ares de legalidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos