TSE vai repassar R$ 110 milhões para Forças Armadas nas eleições; veja como

Presidente Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Carla Carniel)
Presidente Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Carla Carniel)

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) vai repassar R$ 110,6 milhões para as Forças Armadas atuarem na realização do primeiro e do segundo turno das eleições deste ano.

À coluna da jornalista Malu Gaspar, do jornal O Globo, o tribunal detalhou como os recursos serão usados. Confira:

  • O Exército deve ficar com a maior parte (75,7%) da verba: R$ 83,8 milhões

  • A Aeronáutica deve receber R$ 14,9 milhões

  • A Marinha deve receber R$ 11,9 milhões

O valor é o dobro do que foi gasto nas eleições passadas, em 2018 — R$ 54,9 milhões. Ainda de acordo com a coluna, nem os militares nem o TSE explicaram por que a previsão orçamentária aumentou tanto para este ano.

O dinheiro do TSE é enviado para as Forças Armadas por conta do serviço logístico de envio das urnas eletrônicas para os diversos rincões do país (por caminhões, aeronaves, barcos e helicópteros) e para as chamadas “Garantia da Votação e Apuração” (GVA).

Os militares são parceiros históricos do TSE na criação da urna eletrônica —usada pela população desde 1996 — e na realização das eleições brasileiras.

Para a coluna da Malu Gaspar, o Ministério da Defesa informou que o apoio dos militares para as eleições de 2022 encontra-se em “fase de planejamento junto ao TSE, o que impactará no efetivo a ser empregado e nos recursos a serem repassados pelo Tribunal às Forças Armadas, o que ainda não aconteceu”.

Além disso, a pasta também disse que a apresentação de “propostas técnicas” sobre as urnas “jamais pode ser equivocadamente confundida com críticas ao processo eleitoral”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos