TSMC, fabricante de chips, corta investimento para 2023 por demanda menor

Por Yimou Lee e Sarah Wu

TAIPÉ (Reuters) - A fabricante de chips taiuanesa TSMC alertou nesta quinta-feira que a receita do primeiro trimestre cairá em até 5% e que vai reduzir o investimento neste ano, já que a companhia espera demanda mais fraca devido à desaceleração da economia global.

A previsão segue-se à divulgação de um salto de 78% no lucro do quarto trimestre, acima do esperado pelo mercado, o que sinaliza a acentuada desaceleração do setor de tecnologia no mundo diante da piora das condições de vida dos consumidores.

Apesar disso, a TSMC, fabricante de chips mais valiosa do mundo, previu uma retomada do crescimento no segundo semestre, o que fazia suas ações listadas nos Estados Unidos avançarem 7,5%.

"Prevemos que o ciclo de semicondutores vai chegar ao fundo em algum momento do primeiro semestre e vemos uma recuperação na segunda metade de 2023", disse o presidente-executivo, C.C. Wei. Segundo ele, essa retomada será puxada por lançamentos de produtos como dispositivos equipados com recursos de inteligência artificial.

O investimento da maior fabricante terceirizada de chips do mundo em 2023 vai cair para entre 32 bilhões e 36 bilhões de dólares ante 36,3 bilhões em 2022.

A empresa reiterou nesta quinta-feira que a demanda menor em 2023 é uma questão cíclica e que este ano em geral será de ligeiro crescimento para a companhia.

A TSMC afirmou que planeja acelerar a produção fora de Taiwan, diante de incentivos de vários governos para a produção de componentes eletrônicos em seus países.

No quarto trimestre, a TSMC teve lucro líquido de 295,9 bilhões de dólares de Taiwan (9,72 bilhões de dólares) ante 166,2 bilhões de dólares de Taiwan um ano antes. Analistas, em média, esperavam resultado positivo de 289,4 bilhões, segundo dados da Refinitiv.