Tudo o que você precisa saber sobre a estreia do Brasil e o torneio de futebol masculino na Olimpíada

·2 minuto de leitura

Negligenciado pela maioria dos clubes do Brasil e do mundo, e por consequência por seus torcedores, o torneio de futebol masculino terá início nesta quinta-feira para a disputa mais imprevisível da Olimpíada de Tóquio. O Brasil, atual campeão, fará sua estreia às 8h30 (de Brasília), diante da Alemanha, reeditando a final de 2016. Mas quase nada fica entre um ciclo olímpico e outro no futebol. Mesmo com o limite de idade alterado para 24 anos, em função do adiamento dos Jogos.

O processo natural de reformulação das equipes deixa o favoritismo baseado apenas na tradição, nos resultados recentes, e no nome e prestígio dos atletas que vão a campo. Apenas 11 atletas dos 16 países na disputa entre os homens defendem times que chegaram às oitavas de final da última Liga dos Campeões. Por isso, além do clássico com rivalidade de Copa do Mundo, Brasil e Alemanha ganham a companhia de Espanha, França e Argentina no início da briga pela medalha de ouro. Mas sem descartar surpresas como a Costa do Marfim e o anfitrião Japão.

O Brasil tem mais da entressafra entre a Copa de 2018 e a de 2022 do que da conquista no Rio há cinco anos ou outras mais recentes, como a Copa América. Sem Neymar e demais estrelas não liberadas por seus clubes, na Europa e no Brasil, o time do técnico André Jardine deposita esperança na experiência de nomes como Daniel Alves, que forçou a barra com o São Paulo para realizar o sonho inédito.

- Sou como o Benjamin Button, vou de mais a menos (idade). Poder estar aqui é muito especial pra mim. Sou muto grato pela confiança e respeito à minha carreira. Tenho o espírito muito jovem. A primeira vez é sempre muito especial. Por mais que tenha vivido coisas grandiosas. Espero estar à altura da competição e da minha seleção - afirmou o veterano de 38 anos.

O futebol brasileiro é a origem de metade da lista da seleção. Dos 22 jogadores, 11 atuam em solo nacional, entre eles o meia Claudinho, do Bragantino, eleito o melhor jogador e a revelação do Brasileirão em 2020. O jovem divide atenção com Bruno Guimarães, volante do Lyon, e Richarlison, atacante do Everton e da seleção principal, convocado de última hora. Além dele, que entrou na vaga de Pedro, Martinelli, do Arsenal, chegou a substituir Malcolm, meia que depois retornou para o lugar de Douglas Augusto, lesionado.


Richarlison é um dos três atletas da Premier League no grupo. Os outros são o meia Douglas Luiz, do Aston Villa, e o atacante Martinelli. O futebol inglês é, ao lado do alemão, o segundo que mais fornece jogadores para a seleção. Da Alemanha, há Paulinho, Matheus Cunha e Reinier. Ao todo, os atletas vêm de clubes de seis países diferentes, além do Brasil: Alemanha, Espanha, França, Inglaterra, Holanda e Rússia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos