Tunísia emite alerta internacional de prisão contra ex-presidente

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Ex-presidente da Tunísia Moncef Marzouki durante discurso em Túnis
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

CAIRO (Reuters) - A Tunísia emitiu um alerta internacional de prisão contra o ex-presidente Moncef Marzouki, noticiou a agência de notícias estatal TAP nesta quinta-feira, um mês depois que ele pediu à França para encerrar o apoio ao atual governo tunisiano.

Não houve detalhes sobre as acusações que Marzouki enfrenta, mas o atual presidente, Kais Saied, determinou no mês passado uma investigação sobre o que ele disse serem alegações de que Marzouki conspirou contra a segurança do Estado.

Saied tem enfrentado críticas crescentes no exterior desde que assumiu o Executiva em julho, para, na sequência, deixar de lado a maior parte da Constituição e assumir um poder quase total, em movimentos que Marzouki e outros críticos têm chamado de golpe.

Saied anunciou um novo governo em outubro e prometeu um "diálogo" nacional, mas ainda não apresentou um plano detalhado para restaurar a ordem constitucional normal.

Marzouki, que governou de 2011 a 2014, disse à TV Al Jazeera que não ficou surpreso com o mandado de prisão e chamou-o de "uma mensagem ameaçadora a todos os tunisianos". Nas últimas semanas, o ex-presidente tem ficado na França, ex-potência colonial da Tunísia, que ainda tem uma influência considerável sobre o país.

A TAP afirmou que o pedido de prisão foi emitido pelo juiz de instrução encarregado do caso de Marzouki, citando o gabinete de comunicações do Tribunal de Primeira Instância de Túnis.

(Reportagem de Ahmad Elhamy e Alaa Swilam)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos