Turistas destroem barreiras em praias de São Sebastião (SP) e prefeito desabafa: "não venham"

JOÃO PEDRO PITOMBO
·3 minuto de leitura

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - Barreiras instaladas no acesso às praias como Maresias, Juquehy e Camburi, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo, foram destruídas por turistas e veranistas entre sexta-feira (26) e sábado (27). Os equipamentos foram instalados para evitar aglomerações nas praias da cidade como medida de combate à disseminação da Covid-19. A entrada na praia está liberada apenas para a prática de esportes individuais. São Sebastião foi uma das cidades do litoral paulista que sofreu uma invasão de turistas nos últimos dias, após a o início do megaferiado decretado pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). Conforme reportagem do jornal Folha de S.Paulo publicada nesta sexta-feira, os paulistanos aproveitaram os feriados antecipados para viajar mesmo diante do cenário crítico da pandemia no estado de São Paulo, com colapso no sistema de saúde e apesar de todas as praias do litoral paulista estarem com acesso proibido às praias durante a fase emergencial. O prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto (PSDB), criticou os atos de vandalismo e afirmou que a cidade está de portas fechadas para os turistas neste período mais crítico da pandemia. A cidade tem 18 pacientes internados com Covid-19, oito deles intubados. Sem oferta de leitos, a prefeitura transferiu nos últimos dias 14 pacientes para o Hospital Regional do litoral Norte, em Caraguatatuba. "Não temos condições de internar mais pessoas em função da falta de insumos em São Sebastião", afirmou o prefeito, destacando que a cidade não tem condições de intubar mais pacientes, já que não há mais estoque de os medicamentos para fazer o procedimento. O prefeito também informou que vai retomar a partir deste domingo (28) as barreiras sanitárias com testagem para Covid-19 de todos os motoristas e passageiros de veículos com placas de fora da cidade. Ele explicou que as barreiras são uma forma de desencorajar os turistas que queiram ir para a cidade durante o megaferiado. "Fique na sua casa, não venha ao litoral norte neste momento. Nós dependemos, sim, do turismo, mas nesse momento nós dependemos da saúde. Precisamos evitar o colapso ainda maior", disse o prefeito. Ele afirmou ainda que os turistas que quiserem aproveitar as praias de São Sebastião devem vir após o fim da pandemia: "Estaremos sempre de braços abertos, mas, neste momento, estamos de portas fechadas." A barreira sanitária na entrada da cidade já havia sido montada na sexta-feira (26), quando 459 testes foram realizados, sendo que 19 deles deram positivo. Os turistas contaminados foram orientados a retornar. Neste sábado, contudo, a barreira foi suspensa após um desentendimento entre a prefeitura e a Polícia Rodoviária Estadual de São Paulo. A prefeitura informou que desmobilizou a barreira por orientação da polícia, o que foi negado pela Polícia Militar em nota enviada à imprensa. No início da noite deste sábado, o prefeito Felipe Augusto afirmou que prefeitura e Polícia Rodoviária chegaram a um consenso e decidiram retomar as barreiras sanitárias. A Prefeitura de São Sebastião ainda determinou a proibição do funcionamento de piscinas, churrasqueiras e áreas comuns de condomínios residenciais da cidade durante o feriado. Em caso de descumprimento da medida, os condomínios podem pagar multas que chegam a R$ 14 mil, valor que pode dobrar em caso de reincidência.