Trump diz que não há data limite para renegociação do Nafta

Washington, 12 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, negou nesta quinta-feira a existência de um prazo e que estaria "pressionando" o processo de renegociação do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês) com México e Canadá, e afirmou que um acordo está "próximo".

"Não tenho uma data limite (para o Nafta). Sigo lendo nos veículos de imprensa de notícias falsas ("fake news") que estamos pressionando por um acordo, não estamos pressionando", afirmou Trump em breves declarações no começo de uma reunião na Casa Branca sobre comércio e agricultura.

"Disse aos mexicanos que podemos negociar sem fim (...) Estamos bastante próximos de um acordo, poderia ser em duas semanas, três meses ou cinco meses, não importa", acrescentou o chefe de Estado americano.

Trump ressaltou que "enquanto isso, ninguém está se transferindo para o México. Enquanto o Nafta estiver em estado de renegociação, nenhuma empresa vai gastar bilhões de dólares para instalar lá uma fábrica automotiva", disse.

Na semana passada, os três ministros encarregados de renegociar o acordo se reuniram em Washington para intensificar as conversas e buscar um pacto antes da Cúpula das Américas de Lima, que acontece neste fim de semana, algo que, por fim, não foi conseguido.

Fontes ligadas à negociação tinham indicado que o governo Trump tinha relaxado ligeiramente suas exigências sobre o percentual de peças automotivas que deveriam ser fabricadas nos EUA, um dos capítulos de maior atrito para um acordo.

Como consequência, aumentaram as probabilidades de um acordo preliminar, mas Trump reduziu as expectativas ao afirmar pouco depois que não havia "pressa" sobre o novo Nafta, que está em vigor desde 1994 e que ele qualificou várias vezes como "um desastre".

As palavras de hoje do líder contrastam com o afirmado na segunda-feira pelo secretário de Economia do México, Ildefonso Guajardo, que assinalou que a renegociação do pacto comercial entre Canadá, México e EUA estava concluída em 80%, e indicou como data limite para o anúncio formal o dia 1º de maio. EFE