Turquia não pode assumir um novo fardo com refugiados do Afeganistão, diz ministro

·1 minuto de leitura

ISTAMBUL (Reuters) - A Turquia não pode suportar o peso de uma nova onda de migrantes do Afeganistão, disse o ministro das Relações Exteriores do país, Mevlut Cavusoglu, neste domingo, após conversas com seu homólogo alemão, conforme preocupações com o tema são geradas após a tomada do poder pelo Taliban.

Os eventos no Afeganistão alimentaram a preocupação na União Europeia de uma repetição da crise de refugiados de 2015, quando quase um milhão de pessoas fugindo da guerra e da pobreza no Oriente Médio e além cruzaram para a Grécia, a partir da Turquia, antes de viajarem para o norte da Europa em direção a países mais ricos.

Para conter o fluxo de refugiados, a UE chegou a um acordo com a Turquia em 2016 para o país hospedar sírios que fugissem da guerra em seu país em troca de bilhões de euros para projetos de refugiados.

Cavusoglu disse neste domingo que a Europa, assim como os países da região, também serão afetados se a migração do Afeganistão se transformar em uma crise e que lições devem ser aprendidas com a crise dos refugiados sírios.

"Como Turquia, cumprimos suficientemente nossas responsabilidades morais e humanitárias em relação à migração", disse Cavusoglu, falando em uma entrevista coletiva com o ministro alemão das Relações Exteriores, Heiko Maas.

"Está fora de questão assumirmos um fardo adicional de refugiados", afirmou Cavusoglu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos