Turquia 'não aprovará' Suécia e Finlândia na OTAN

Presidente turco Recep Tayyip Erdogan adiantou que país será contra entrada de Suécia e Finlâdndia na Otan (Foto: Aytac Unal/Anadolu Agency via Getty Images)
Presidente turco Recep Tayyip Erdogan adiantou que país será contra entrada de Suécia e Finlâdndia na Otan (Foto: Aytac Unal/Anadolu Agency via Getty Images)

Resumo da notícia

  • Turquia se declarou contra entrada de Suécia e Finlândia na Otan

  • Segundo presidente turco, Erdogan, o motivo é o histórico dos países em acolher militantes curdos

  • Para entrada na Otan, é preciso ter aprovação unânime entre os países membros

Nesta segunda-feira (16), a Turquia declarou que será contra a entrada de Suécia e Finlândia da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A declaração foi dada pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Os dois países são tradicionalmente neutros, mas mostraram interesse em integrar o grupo. Para que a entrada de Suécia e Finlândia seja aprovada, a decisão deve ser unânime entre os países membros da Otan. A Turquia deve se opor, impedindo que eles entrem no grupo.

Segundo Erdogan, as delegações dos dois países “não deveriam se incomodar em vir a Ancara” para tentar convencê-lo de mudar a posição sobre o assunto. A decisão foi uma surpresa para outros membros da Otan.

A Turquia afirmou que a oposição é motivada pelo “histórico” de Suécia e Finlândia receberem militantes curdos – chamados por Erdogan como “organizações terroristas”. Para que o país mude de ideia, suecos e finlandeses precisariam parar de receber curdos e também suspender a proibição de vendas de algumas armas para a Turquia.

Ao mesmo tempo, no último domingo, o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, afirmou que confia que a Otan pode “absorver as preocupações” da Turquia para aceitar Suécia e Finlândia.

Antony Blinken, secretário de Estado dos Estados Unidos, seguiu no mesmo caminho de Stoltenberg. “Estou muito confiante de que chegaremos a um consenso sobre isso”, declarou.

Ameaças da Rússia

Também nesta segunda-feira, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou que a Rússia teria de reagir, caso seja confirmada a entrada de Suécia e Finlândia na Otan. Putin afirmou que não há um problema do Kremlin com a decisão, mas que a expansão da infraestrutura militar precisaria de uma reação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos