Turquia rejeita críticas dos EUA sobre mísseis S-400

·1 minuto de leitura
O presidente turco Recep Tayyip Erdogan, na foto com o presidente Donald Trump
O presidente turco Recep Tayyip Erdogan, na foto com o presidente Donald Trump

A Turquia rejeitou, neste sábado (24), as críticas dos Estados Unidos sobre os controversos sistemas de defesa russos e sua incompatibilidade com os compromissos de Ancara com a OTAN.

O Pentágono condenou energicamente na sexta-feira o primeiro teste de um sistema de defesa aérea S-400 de fabricação russa. 

"Fomos claros e decisivos em nossa posição: um sistema operacional S-400 não é consistente com os compromissos da Turquia como aliado dos Estados Unidos e da OTAN", disse o porta-voz do Pentágono, Jonathan Hoffman. 

"Enquanto temos lutado ininterruptamente em uma ampla geografia contra diferentes riscos e ameaças apesar da pandemia, afirmar que a Turquia ... está agindo contra seus compromissos com a OTAN não é coerente", afirmou o porta-voz do Ministério da Defesa turco, Sebnem Aktop, em um comunicado.

"O objetivo da Turquia não é incomodar ninguém, mas garantir a segurança de seu povo", disse.

O teste do S-400 ocorreu mesmo com as repetidas advertências de sanções por parte do Departamento de Estado dos Estados Unidos se o sistema fosse ativado.

O presidente Recep Tayyip Erdogan confirmou, na sexta-feira, o ensaio do primeiro sistema de defesa S-400 e disso: "Não vamos pedir permissão aos Estados Unidos".

Aktop disse que os testes faziam parte de um "processo natural" e garantiu que a Turquía usará o sistema S-400 sem integrar-se a nenhum sistema de controle de comando da OTAN, assim como outros membros que possuem S-300. 

A Turquia criticou os Estados Unidos por não venderem suas baterias de defesa antimísseis American Patriot, o que a fez recorrer à Rússia para garantir suas necessidades de segurança.

raz-fo/msr/eg/aa