Rússia avisa que ataque contra a Síria "terá consequências"

Moscou, 14 abr (EFE).- O ataque lançado neste sábado contra a Síria, pelas Forças Armadas dos Estados Unidos, Reino Unido e França "não ficará sem consequências", advertiu o embaixador da Rússia em Washington, Anatoly Antonov.

"Os piores presságios foram cumpridos, eles não escutaram nossas advertências e voltaram a nos ameaçar. Tínhamos advertido que estas ações não ficariam sem consequências. Toda a responsabilidade recai em Washington, Londres e Paris", disse Antonov, em uma declaração oficial divulgada pela Embaixada.

O chefe da legação diplomática russa em Washington qualificou de "inadmissível" as palavras do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre a responsabilidade do líder russo, Vladimir Putin, no suposto ataque com armas químicas contra a cidade síria de Duma.

"Os ataques ao presidente são inaceitáveis e inadmissíveis. Os Estados Unidos, um país que tem o maior arsenal de armas químicas no mundo, não tem direito moral de culpar outros países", ressaltou Antonov.

Em sua aparição na Casa Branca para anunciar a ofensiva contra o regime de Bashar al-Assad, Trump lembrou que "em 2013, o presidente Putin e seu governo prometeram ao mundo inteiro que seria fiador na destruição das armas químicas na Síria".

"O recente ataque de Assad (contra Duma) e a resposta de hoje é o resultado direto da incapacidade da Rússia de cumprir suas promessas", disse Trump.

Os Estados Unidos e seus aliados lançaram esta madrugada três ataques contra instalações utilizadas, segundo o Pentágono, para a produção e armazenagem de armas químicas. EFE