Turquia vai banir 10 embaixadores ocidentais, diz presidente Erdogan

·1 min de leitura

Por Daren Butler

ISTAMBUL (Reuters) - O presidente turco, Tayyip Erdogan, disse neste sábado ter ordenado ao Ministério das Relações Exteriores que declarasse dez embaixadores de países ocidentais como "persona non grata" por pedirem a libertação do filantropo Osman Kavala.

Kavala está na prisão há quatro anos, acusado de financiar protestos em todo o país em 2013 e de envolvimento em um golpe fracassado em 2016. Ele nega as acusações.

Em declaração conjunta em 18 de outubro, os embaixadores de Canadá, Dinamarca, França, Alemanha, Holanda, Noruega, Suécia, Finlândia, Nova Zelândia e Estados Unidos pediram uma resolução justa e rápida para o caso de Kavala e sua "libertação urgente". Eles foram intimados pelo Ministério das Relações Exteriores da Turquia, que considerou a declaração irresponsável.

"Dei a ordem necessária ao nosso ministro das Relações Exteriores e disse o que deve ser feito: esses dez embaixadores devem ser declarados 'persona non grata' de uma vez. Você resolverá isso imediatamente", disse Erdogan em discurso na cidade de Eskisehir, no noroeste da Turquia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos