TV francesa elege Jair Bolsonaro como racista e misógino do ano

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Reprodução
Reprodução

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) foi o vencedor de duas categorias que disputava no Les cons d’or (Os Idiotas de Ouro, em tradução livre), promovido pela programa Je T’aime Etc, da emissora francesa France 2. Ele ganhou os troféus de racista e de misógino do ano. Perdeu apenas na categoria ignorante do ano, que ficou para o rapper Kanye West.

Pelo posto de misógino do ano, concorriam o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o presidente filipino, Rodrigo Duterte, e Bolsonaro. Os apresentadores usaram um vídeo de 2003, em que o presidente eleito discute com a deputada federal Maria do Rosário para justificar a presença dele na categoria. Na gravação, Bolsonaro diz que jamais estupraria a parlamentar porque ela era muito feia e não merecia.

Na sequência, os concorrentes ao prêmio de racista do ano foram apresentados. Novamente Bolsonaro e Trump entraram na disputa, junto com a cantora irlandesa Sinéad O’Connor que se converteu ao islamismo e disse que nunca mais gostaria de conviver com uma pessoa branca.

O programa resgatou uma entrevista que Bolsonaro concedeu ao CQC respondendo à cantora Preta Gil que nenhum de seus filhos namoraria uma negra porque “eles foram muito bem educados” e acabou eleito.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos