Twitter explora versão premium depois de 11 anos como serviço gratuito

SÃO FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - O Twitter está considerando a criação de uma versão premium de sua rede social voltada a profissionais, anunciou a companhia nesta quinta-feira, elevando a possibilidade de que a empresa poderá cobrar assinatura de alguns usuários pela primeira vez.

Como a maior parte das companhias de mídia social, o Twitter desde sua fundação há 11 anos tem se concentrado em criar uma grande base de usuários para um serviço gratuito financiado por publicidade. No mês passado a empresa divulgou que tinha 319 milhões de usuários no mundo.

Mas diferente do Facebook, o Twitter não tem conseguido atrair receita publicitária suficiente para ter lucro, mesmo com toda a popularidade que recebe do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e de outras celebridades que utilizam a rede social.

O Twitter está conduzindo uma pesquisa "para saber o interesse em uma nova versão mais avançada do Tweetdeck", que é uma ferramenta que ajuda os usuários a navegar pela rede social, disse a porta-voz Brielle Villablanca, nesta quinta-feira.

"Regularmente conduzimos pesquisa com usuários para termos informações sobre a experiência deles no Twitter e para basearmos melhor nossas decisões de investimento de produto. Estamos explorando várias formas de tornar o Tweetdeck mais valioso para profissionais."

Não há indicação de que o Twitter esteja considerando cobrar tarifas de todos os seus usuários.

A informação sobre a pesquisa do Twitter foi publicada mais cedo na própria rede social. Jornalistas publicaram imagens de telas que mostram como a versão premium do Tweetdeck poderia se parecer.

A versão poderia incluir "ferramentas mais poderosas para ajudar anunciantes, jornalistas, profissionais e outros usuários em nossa comunidade a encontrar o que está acontecendo no mundo de maneira mais rápida", mostra uma das telas publicada na conta @andrewtavani.