Twitter, Instagram e YouTube bloqueiam páginas de Allan dos Santos e Terça Livre após decisão de Moraes

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***BRASILIA, DF,  BRASIL,  05-11-2019,  -  O jornalista Allan Santos, do Site Terça Livre, presta depoimento à CPMI das Fake News, no Senado Federal. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASILIA, DF, BRASIL, 05-11-2019, - O jornalista Allan Santos, do Site Terça Livre, presta depoimento à CPMI das Fake News, no Senado Federal. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Twitter, o YouTube e o Instagram tiraram do ar as páginas do influenciador bolsonarista Allan do Santos e do seu site, o Terça Livre.

O bloqueio atende a uma decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, no inquérito sobre a existência de milícias digitais que atacam as instituições e a democracia. A decisão é da semana passada.

A conta de Santos no Twitter havia sido bloqueada ainda na sexta (9). Desde terça (12), saíram do ar o canal do Terça Livre no YouTube e a página pessoal do influenciador no Instagram.

Santos é um dos principais alvos da investigação sobre as milícias digitais.

Como mostrou a coluna Painel, da Folha de S.Paulo os encontros do infuenciador com Jair Bolsonaro e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) durante a viagem do presidente à Assembleia da ONU, em setembro, entraram na mira da Polícia Federal.

O influenciador também é investigado no inquérito das fake news.

Ele deixou o país após virar alvo dos inquéritos relatados por Moraes e, atualmente, mora nos EUA.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos