Twitter: o que se sabe sobre o fechamento dos escritórios

Twitter: escritórios da empresa foram fechados em meio a resignações em massa dos funcionários (STR/NurPhoto via Getty Images)
Twitter: escritórios da empresa foram fechados em meio a resignações em massa dos funcionários (STR/NurPhoto via Getty Images)
  • Twitter: Metade dos funcionários restantes da empresa teriam se demitido na noite de quinta-feira;

  • Musk havia dado essa opção, com três meses de indenização, caso não aceitassem o novo regime de trabalho;

  • Bilionário trancou o escritório do Twitter à medida que empresa não tem funcionários para manter a rede social.

Os funcionários do Twitter mostraram a Elon Musk que suas ameaças não tem serventia alguma. Desta vez, não foi Musk quem efetuou as novas demissões, mas os próprios funcionários que escolheram sair da empresa. O que levou Musk a fechar os escritórios do Twitter para todos funcionários.

Ainda não se sabe o motivo por trás da medida, mas ex-funcionários especulam nas redes sociais que Musk pode ter feito isso como uma forma de preocupação, para impedir que funcionários descontentes tenham acesso ao escritório da empresa, e até mesmo como uma forma de retaliação, atingindo aqueles funcionários que ficaram.

No anúncio, a empresa falou aos funcionários:

"Oi, com efeito imediato, estamos fechando temporariamente nossos prédios de escritórios, e os acessos de todos os crachás serão suspensos. Os escritórios reabrem na segunda-feira, 21 de novembro. Obrigado pela sua flexibilidade. Por favor, continue a cumprir a política da empresa, abstendo-se de discutir informações confidenciais da companhia nas redes sociais, com a imprensa ou em qualquer outro lugar. Estamos ansiosos para trabalhar com você no futuro emocionante do Twitter".

Reações na rede social

Nesta madrugada uma série de insultos a Musk foi projetada nas paredes da sede do Twitter em São Francisco, horas após os trabalhadores serem bloqueados de entrar no prédio. Dentre os xingamentos estavam "parasita supremo", "crianção medíocre", "bilionário inútil" e "karen espacial", segundo as filmagens publicadas online. Outra projeção apontava para o edifício com as palavras "inferno de Musk".

O ato aconteceu após um e-mail de Musk anunciar mais mudanças na política de trabalho na empresa. No último dia 16 Musk enviou um e-mail aos funcionários exigindo que eles trabalhassem sob um regime "hardcore" de trabalho, que envolvia longas horas e altas cobranças. Aqueles que se recusassem poderiam se demitir, recebendo uma indenização de três meses de trabalho.

Após ondas de demissões de funcionários, encerramentos de equipes inteiras por Musk e ameaças deste tipo, os trabalhadores restantes da empresa optaram por não seguir mais sob seu comando.

Segundo relatos nas redes sociais de ex-funcionários, o número de trabalhadores que se demitiram pode chegar a 50% dos funcionários restantes da empresa, o que teria deixado a empresa em um estado crítico sem engenheiros suficientes para se manter funcionando.