Twitter pode cobrar mais de R$ 100 pelo selo azul de verificação

Musk estaria planejando começar a cobrar pelo selo de verificação no Twitter (Getty Image)
Musk estaria planejando começar a cobrar pelo selo de verificação no Twitter (Getty Image)
  • Twitter pode começar a cobrar pelo selo de verificação;

  • Mudanças acontecem após Elon Musk adquirir a rede social;

  • Função pode ficar atrelada ao serviço premium da plataforma.

Parece que Elon Musk terá trabalho para tentar recuperar o investimento de US$ 44 bilhões que fez para comprar o Twitter. De acordo com Casey Newton, o fundador da Platformer News, o bilionário estaria planejando começar a cobrar pelo selo de verificação.

Das medidas para ganhar dinheiro com a plataforma, uma das possibilidades é um aumento para US$ 19,99 (R$ 106) na mensalidade do Twitter Blue, serviço de assinatura premium que fornece funcionalidades extras para os seus usuários, como a opção de editar tweets e personalização de abas.

De acordo com o site Plataform, os usuários verificados serão obrigados a assinar o Twitter Blue para manter o selo azul de verificação. Dessa forma, quem não iniciar a assinatura em 90 dias, perderá a verificação que já havia conseguido no passado.

No momento, a versão premium da plataforma está disponível para quatro países (Austrália, Canadá, Estados Unidos e Nova Zelândia), enquanto a rede social possui usuários verificados em diversos locais do mundo.

No domingo (30), Musk disse no Twitter que "todo o processo de verificação está sendo reformulado neste momento".

Apesar da empresa não ter divulgado detalhes de como o serviço funcionará com grandes empresas e governos, existe um possível risco de remoção do selo de verificado de órgãos governamentais, o que amplia os riscos de desinformação.

Relatos apontam que a equipe que trabalha na transição da empresa para o novo proprietário terá que concretizar as mudanças até o dia 7 de novembro para que sejam apresentadas aos usuários.