Twitter priva post de Trump de curtidas, comentários e retuítes por 'risco de violência'

Extra com agências internacionais
·1 minuto de leitura
Foto: Twitter / Reprodução

O post no Twitter do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre a invasão ao Capitólio por seus apoiadores nesta quarta-feira, dia 6, foi privado de receber curtidas, comentários e retuítes. Abaixo do vídeo, aparece um símbolo de alerta seguido pela justificativa: "Essa alegação de fraude eleitoral é contestada e este Tweet não pode ser respondido, retuitado ou curtido devido ao risco de violência".

A rede social explicou que, de forma geral, está restringindo o engajamento das postagens que violem seus termos da política de integridade física.

O microblog disse ainda que tomaria medidas contra os tuítes que sugerem ameaças e violência.

"... temos restringido significativamente o envolvimento com Tweets rotulados em nossa Política de Integridade Cívica devido ao risco de violência. Isso significa que esses Tweets rotulados não poderão ser respondidos, retuitados ou curtidos", afirmou a empresa.

Trump pediu aos manifestantes para irem para casa depois que centenas deles invadiram o prédio em Washington e tentaram forçar o Congresso a anular a derrota do republicano no Colégio Eleitoral.

No vídeo publicado no Twitter, Trump repetiu a alegação não comprovada de que o resultado da eleição de 3 de novembro, com a vitória do democrata Joe Biden, foi "fraudado".

"Eu entendo sua dor", disse ele. "Tivemos uma eleição que foi roubada de nós".

No entanto, completou: "Vocês precisam ir para casa agora. Nós temos que ter paz. Nós temos que ter lei e ordem".