Twitter suprime mensagem do guia supremo iraniano contra vacinas ocidentais

·1 minuto de leitura
Uma foto fornecida pelo escritório do líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei em 8 de janeiro de 2021. O líder iraniano teve um tweet seu que se referia a probição de vacinas produzidas no orientes suprimido pela rede social Twitter neste sábado, por violar as regras da comunidade.

O Twitter suprimiu, neste sábado (9), uma mensagem publicada pelo guia supremo iraniano, Ali Khamenei, que afirmava que era impossível confiar nas vacinas americana e britânica contra o novo coronavírus, por considerar que o tuíte viola suas regras.

O aiatolá Ali Khamenei havia anunciado na sexta-feira em uma mensagem em sua conta no Twitter, em inglês, a proibição de importar vacinas contra a covid-19 fabricadas nos Estados Unidos e no Reino Unido.

"Está proibido importar vacinas criadas nos Estados Unidos ou no Reino Unido. Não podemos confiar neles. É possível que queiram contaminar outras nações", dizia a mensagem de Khamenei, que reproduzia parte de um discurso seu.

"Este tuíte não está mais disponível porque viola as regras do Twitter", justificou a rede social.

O Twitter se encontra sob enorme pressão, dentro e fora dos Estados Unidos, para que censure informações que possam ser consideradas falsas, ou uma apologia à violência, racismo, etc.

A companhia publicou regras com relação a isso em dezembro, e na sexta-feira anunciou que suspendeu a conta do presidente americano Donald Trump.

Meios conservadores nos Estados Unidos criticaram o fato de que líderes como Khamenei mantenham um tom agressivo contra o seu país, mas continuem com suas contas na rede social.

O Irã é o país do Oriente Médio mais atingido pela pandemia do novo coronavírus, com mais de 56.000 mortos.

ap/kam/bfi/jz/eg/gf