Twitter x Musk: rede social vence primeiro round contra bilionário

O Twitter saiu vitorioso da primeira audiência de seu processo movido contra o bilionário Elon Musk, que desistiu do acordo de compra da plataforma no valor de US$ 44 bilhões. A juíza-chefe da Corte de Chancelaria de Delaware, Kathaleen St. J. McCormick, acatou nesta terça-feira o pedido do Twitter para que o julgamento fosse acelerado, estabelecendo um período de cinco dias para a sessão em outubro.

O Twitter havia solicitado que o julgamento ocorresse em setembro, a fim de evitar que Musk causasse mais danos à rede social e que sua equipe jurídica solicitasse mais documentos internos da plataforma. Já a equipe de Musk pedia que o julgamento fosse a partir de fevereiro, segundo o Washington Post.

Os advogados do Twitter argumentaram na audiência que Musk quebrou o acordo de compra da empresa e, como o contrato não faz referência a bots, os pedidos do bilionário de informações sobre o assunto são irrelevantes.

"O que temos aqui é um comprador que procura uma rampa de saída para um acordo que não tem uma", disse Bill Savitt, principal advogado que defende a rede social.

A equipe jurídica de Musk respondeu que o Twitter estava pressionando injustamente por um julgamento na "velocidade da luz" . Musk disse que o Twitter violou os termos do contrato de compra ao não fornecer informações detalhadas sobre as chamadas contas de bots de spam em seu sistema. O caso exige uma "análise forense e análise de grandes quantidades de dados" sobre os bots, além de outras questões legais, segundo os advogados de Musk no processo.

Juízes da Corte de Chancelaria de Delaware, estado onde há a sede corporativa de mais da metade das empresas de capital aberto nos Estados Unidos, são conhecidos por serem capazes de vasculhar o emaranhado legal de disputas complexas de fusões e aquisições mais rapidamente do que muitos outros tribunais americanos.

Ao contrário de alguns estados, onde um caso pode levar vários anos para ir a julgamento, o tribunal de Delaware tende a se mover mais rápido, e os casos são normalmente discutidos dentro de cinco a seis meses após o arquivamento.

Relembre o impasse entre Musk e os executivos do Twitter

Musk desistiu do contrato de compra da plataforma no dia 8 de julho, dizendo em um documento regulatório que o Twitter havia feito "declarações enganosas" sobre o número de contas de bots na plataforma. Segundo o bilionário, o Twitter também não "cumpriu suas obrigações contratuais" de fornecer informações sobre como avaliar a prevalência de bots no serviço de rede social.

A rede social respondeu que Musk estava solicitando informações que “não existem, já foram fornecidas ou são objeto de solicitações feitas recentemente”. O bilionário "se recusa a cumprir suas obrigações com o Twitter e seus acionistas porque o acordo que ele assinou não atende mais a seus interesses pessoais", disse o Twitter no processo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos