Tyson Fury mantém seu cinturão dos pesos pesados do WBC ao derrotar Dereck Chisora

O inglês Tyson Fury, o “Gypsy King”, manteve o cinturão de campeão dos pesos pesados do WBC em Londres, neste sábado, ao derrotar o compatriota Dereck Chisora após o árbitro interromper a luta no décimo round. Esta é a terceira vitória de Fury, de 34 anos, sobre Chisora, de 38, em três lutas, depois dos triunfos em 2011 e 2014.

Fury venceu cada round do combate, diante de cerca de 60 mil espectadores reunidos no Tottenham Hotspur Stadium, ao norte da capital da Inglaterra. Ele teve que esperar até o décimo round e a decisão do árbitro, contra um duro Chisora, que resistiu e mostrou sua coragem, mas cuja carreira, com 33 vitórias para 12 derrotas, estava aquém, mas na noite deste sábado, depois de sofrer uma avalanche de golpes, tenha desistido por um longo período, tendo, ao fim, o reconhecimento do rival.

— Que lutador, que guerreiro — declarou Fury no ringue, para homenagear Chisora, após sua 33ª vitória, 24 delas por nocaute, com um empate e nenhuma derrota.

Na luta considerada espetacular pelo público, o ucraniano Oleksander Usyk, dono dos outros três cinturões da categoria, também estava acompanhando. Eles podem se enfrentar em um duelo para a unificação de cinturões.

Fury é mais alto, mais pesado e com uma envergadura maior que Chisora. Contra o Usyk, se a unificação dos cinturões acontecer ano que vem, não há essa vantagem. Fury, porém, como disse no ringue insultando o ucraniano, ao vivo, para alegria do público, “quer muito a vitória”.

— Usyk, você é o próximo da lista — disse Fury, com o microfone na mão. — Você é baixinho e eu já venci um ucraniano [Vladimir] Klitchsko, então agora é a sua vez, pequenino. Vamos nos encontrar novamente.