Uber Moto: modalidade chega a São Paulo e Rio de Janeiro

Serviço de Uber Moto já é comum em outras cidades do Brasil e no mundo (Nasir Kachroo/NurPhoto via Getty Images)
Serviço de Uber Moto já é comum em outras cidades do Brasil e no mundo (Nasir Kachroo/NurPhoto via Getty Images)
  • Uber estudou durante anos o funcionamento e as demandas do Uber Moto;

  • Modalidade já está presente em cerca de 160 cidades brasileiras;

  • Empresa oferecerá seguro pessoal para os passageiros e motociclistas parceiros.

A modalidade de corridas Uber Moto chegou ao Rio de Janeiro e a São Paulo nesta quinta-feira (05). O serviço foi lançado pela Uber em 2020 e já estava presente em 160 municípios brasileiros, como Aracaju (SE) e Porto Alegre (RS), Curitiba (PR) e Salvador (BA). Até então, motociclistas das duas maiores cidades do Brasil só podiam atuar na Uber realizando entregas através do Uber Flash.

Uma corrida do Uber Moto costuma ser mais barata do que as oferecidas por carros no aplicativo, até mesmo quando comparada à categoria UberX, a mais básica da empresa. Segundo a Uber, antes de lançarem o serviço no Rio e em São Paulo, houve grande estudo sobre como a modalidade funcionou nas demais cidades para que as demandas da população fossem entendidas.

“Antes de desembarcar nas duas maiores cidades brasileiras, passamos mais de dois anos estudando o uso do produto em diversos lugares e avaliamos o comportamento que o Uber Moto teve em diferentes municípios brasileiros”, explicou Luciana Ceccato, diretora de marketing da Uber no Brasil.

“O que percebemos é que, além dos deslocamentos rotineiros, existe um uso constante de chegada e partida de estações e terminais de ônibus, trens e metrô, comprovando que esse é um produto que também complementa o deslocamento de usuários que utilizam a malha pública de transportes”, concluiu.

Em menos de 1 dia, serviço é suspenso em São Paulo

Apesar de ter recém-estreado em São Paulo, o prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB) notificou a empresa e pediu pela suspensão do serviço. De acordo com a prefeitura, o transporte de passageiros por motocicletas ainda não é regulamentado na cidade.

A Uber, em nota, afirmou que pela Política Nacional de Mobilidade Urbana (Lei Federal 12.587/2012), seus motoristas parceiros podem realizar o transporte individual de passageiros em motocicletas, e que o serviço é distinto ao mototáxi, um transporte público individual.

"A norma federal que regulamenta o transporte individual privado de passageiros - e que estabelece os limites para a regulamentação pelos municípios - não faz distinção quanto ao tipo de veículo. É comum que a atividade seja desempenhada com automóveis, mas isso não significa que este seja o único modal permitido", disse a empresa em nota.

O município orientou à empresa de corridas por aplicativos que se reúnam para chegarem a um acordo sobre a dinâmica da atividade e realização de estudos da viabilidade do serviço.

Segurança da corrida

Para garantir uma corrida segura tanto para o motociclista parceiro, quanto para o passageiro, a Uber afirmou que será obrigação do condutor oferecer um capacete para o viajante, e que este deve ser higienizado após cada viagem.

O motociclista parceiro deverá também ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) definitiva e com a observação de atividade remunerada (EAR) para poder se cadastrar como motorista da plataforma.

Além disso, assim como já faz com seus motoristas de carro, a Uber irá realizar a checagem de antecedentes dos novos motociclistas e oferecerá seguro em caso de acidentes pessoais para os usuários e para os condutores.