Uber teria usado empresas de fachada para evitar impostos

·1 minuto de leitura
(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

Uma investigação realizada pelo Centro de Contabilidade e Pesquisa de Impostos Corporativos Internacionais (CICTAR), sediado na Austrália, aponta que a Uber recorreu a 50 empresas de fachada da Holanda para conseguir a redução de sua carga fiscal em âmbito global.

Leia também:

Há dois anos, a empresa de transporte por aplicativo reivindicou US$ 4,5 milhões para fins fiscais, por conta de perdas operacionais globais, mas excluiu os Estados Unidos e a China. No entanto, o documento do órgão de investigação afirma que, também em 2019, a Uber teria receitas operacionais de US$ 5,8 milhões.

O CICTAR garantiu que nenhuma das filiais da Uber na Holanda apresentou qualquer relatório financeiro obrigatório. No relatório, consta ainda que, na Índia, a Uber pagou menos de um terço do imposto de 6% que o país impõe sobre multinacionais.

Um dos analistas do CICTAR, à frente da investigação, chamou a manobra da Uber de “Liga dos Campeões da evasão fiscal”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos