Ucrânia afirma ter capturado um dirigente do Estado Islâmico

Ucrânia afirma ter capturado um dirigente do Estado Islâmico

A Ucrânia anunciou nesta sexta-feira (15) a detenção de um dirigente do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) após uma operação conjunta, segundo Kiev, envolvendo os serviços de inteligência ucranianos, a polícia da Geórgia e a CIA.

Trata-se de um cidadão georgiano chamado de "Al Bara al Shishani", informou o Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU).

Segundo o SBU, "al Shishani" foi durante um tempo adjunto de Abu Omar al Shishani (Omar "o Checheno"), um dos líderes militares mais importantes do EI, cuja morte foi anunciada pelo grupo em 2016.

"Al Bara al Shishani" deixou a Síria em 2016 rumo à Turquia "onde continuou a coordenar as atividades" do EI, de acordo com a mesma fonte.

Após chegar "ilegalmente" à Ucrânia em 2018 com um passaporte falso, ele foi preso por policiais perto de sua casa, nos arredores de Kiev, capital da Ucrânia, indica o comunicado.

Para o diretor do Observatório de Direitos Humanos da Síria (OSDH), Rami Abdel Rahman, Al Bara al Shishani não era, contudo, "um oficial de alto escalão do EI, mas um mero combatente".

Al Shishani estava lutando pelo EI nos arredores de Latakia (oeste da Síria), antes da expulsão do grupo, então conhecido como Estado Islâmico no Iraque e o Levante (ISIL), da região em 2013, disse Rahman à AFP.

Segundo o Serviço de Segurança da Geórgia, o nome real de Al Bara al Shishani é Tsezar Tojossashvili, e ele era procurado por "pertencer a uma organização terrorista".