Ucrânia atenta à ameaça bielorrussa

A ameaça para a Ucrânia não surge apenas da Rússia e é necessária vigilância máxima também nos 900 quilómetros de fronteira com a Bielorrússia. Oficialmente, Minsk está fora da guerra, na prática, deu carta-branca aos russos para usarem o seu território para a ofensiva militar na Ucrânia.

A fronteira com a Bielorrússia é por isso um ponto sensível para as forças ucranianas, que dizem estar empenhadas na organização de uma estrutura defensiva cujo objetivo passa por evitar uma nova invasão e que se isso acontecer, precisam de estar preparados para parar o inimigo na linha de demarcação e impedir que entre no território ucraniano.

Trinta quilómetros a sul da fronteira está a cidade de Horodnia, a primeira a ser ocupada pelos russos no dia da invasão. Os ocupantes já abandonaram a cidade mas dada a sua localização estratégica, a fronteira com a Rússia é também a pouco mais de 35km, o perigo está sempre à espreita.

Para quem mora junto à fronteira que une os três países, e que desde sempre conheceu as três realidades, esta situação é incompreensível. Svitlana é proprietária de uma loja em Horodnia, diz que tem um irmão na Bielorrússia e uma irmã em Moscovo e que têm todos dificuldade em perceber como é que três países irmãos estão de costas voltadas, manifestando a sua vontade de ver esta guerra terminar o mais rapidamente possível.

Infelizmente para Svitlana, a vontade da população pouco ou nada conta para quem decide levar um país para a guerra.