Ucrânia: Cadáveres dos "ocupantes" cobrem área perto de Soledar

"A batalha pelo Donbass continua", Volodymyr Zelenskyy descrevia a situação na região oriental de Donetsk como muito tensa, sobretudo em Soledar. Ali, poucas paredes permaneciam "intactas", como frisava o chefe de Estado. Apesar dos esforços russos estarem concentrados nesta área, o presidente garantia que as forças ucranianas lutam pela sua libertação. Zelenskyy perguntava-se sobre o que é que a Rússia pretendia ganhar ali? Referia que está "tudo completamente destruído, já quase não há vida. Perderam-se milhares dos seus habitantes".

"A área perto de Soledar está coberta pelos cadáveres dos ocupantes e pelas cicatrizes dos ataques. É este o rosto da loucura".

Soledar, juntamente com a vizinha cidade de Bakhmut, faz parte da "muralha" da defesa ucraniana frente à aglomeração entre Slovyansk e Kramatorsk.

Sobreviver e ajudar em Kharkiv

Na aldeia de Mospanove, região de Kharkiv, a situação agravou-se nos últimos tempos. No início da invasão russa da Ucrânia tudo parecia tranquilo mas houve quem acreditasse que tudo podia mudar e se tivesse preparado para o momento em que as bombas começaram a cair.

Kostiantyn Nemykin partiu com a mulher para Chuhuiv mas acabou por regressar, sozinho empurrado pela vontade de ajudar. Na cave de uma casa abandonada fez um abrigo onde, desde março, se esconde com os vizinhos. Enquanto espera por dias melhores vai reparando o sistema de abastecimento de água e dando apoio a quem precisa, sobretudo aos mais idosos.

Cooperação entre Portugal e Ucrânia

Na segunda-feira, Zelenskyy conversou com o Primeiro-ministro português, António Costa a quem agradeceu o apoio, pronto e "eficaz" dado pelo país ao sistema energético da Ucrânia. Nas redes sociais o chefe de Estado ucraniano explicava que os tópicos da discussão foram a "cooperação em matéria de segurança" e os "passos concretos" para implementar a Fórmula para a Paz.

Fórmula para a paz na Ucrânia

Em novembro de 2022, num discurso por videoconferência durante o Fórum Internacional de Segurança de Halifax, Zelensky expunha o seu ponto de vista sobre as dez áreas que é necessário considerar para se chegar à resolução do conflito e a uma paz duradoura. Dez pontos essenciais ligados à segurança nuclear, alimentar e energética mas que passava também pela libertação de todos os prisioneiros de guerra; pela implementação da Carta da ONU sobre Direitos Humanos, restauração da integridade territorial e ordem mundial; retirada das tropas russas e fim das hostilidades; restabelecimento da Justiça por tribunais de guerra com as devidas compensações; resposta ao Ecocídio (porque a invasão russa comprometeu o país em termos ambientais); por garantias de Segurança e o passo final, formal, e depois de ser assinado um acordo diplomático de paz, a confirmação do fim da guerra.