Ucrânia condena ataque da Rússia que matou 23 pessoas em cidade “comum e pacífica”

Equipes de emergência trabalham em área atingida por ataque militar russo, em Vinnytsia

Por Sergiy Karazy

VINNYTSIA, Ucrânia (Reuters) - Mísseis russos atingiram a cidade ucraniana de Vinnytsia, bem atrás das linhas de frente, nesta quinta-feira, em um ataque que autoridades ucranianas chamaram de crime de guerra e que, segundo elas, matou pelo menos 23 pessoas, incluindo três crianças.

O ataque, que a Ucrânia afirma ter sido conduzido com mísseis Kalibr lançados de um submarino russo no Mar Negro, aconteceu um dia depois de um avanço em negociações entre Moscou e Kiev para desbloquear as exportações de grãos ucranianos e ressaltou o quanto os dois lados continuam distantes de um acordo de paz.

“O que é isso, senão um ato aberto de terrorismo?”, escreveu o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, no aplicativo de mensagens Telegrama.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, ficou “horrorizado” com o ataque e “condena qualquer ataque contra civis ou infraestrutura civil”, disse um porta-voz.

O Ministério da Defesa da Rússia, que nega estar deliberadamente tentando atingir civis, não comentou sobre o ataque em um primeiro momento.

Zelenskiy afirmou a uma conferência internacional com o objetivo de processar crimes de guerra na Ucrânia que o ataque foi realizado contra “uma cidade comum e pacífica”.

(Reportagem de redações da Reuters)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos