Ucrânia diz que Rússia ataca Donbas, mas falha em conseguir objetivos

Pessoas caminham por área danificada por disparos russos de artilharia em Kharkiv, na Ucrânia

Por Natalia Zinets

KIEV (Reuters) - As forças russas bombardearam a região de Donbas, no leste da Ucrânia, neste sábado, mas não conseguiram capturar três áreas que eram seus objetivos, afirmou o Exército ucraniano, enquanto Moscou disse que as sanções impostas pelo Ocidente sobre a Rússia e os envios de armas para a Ucrânia impedem as negociações de paz.

Os russos tentam capturar as áreas de Lyman, em Donetsk, e de Sievierodonetsk e Popasna, em Luhansk, afirmou o Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia em uma atualização diária. "Não estão conseguindo --a luta continua", disse.

O ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse em declaração publicado mais cedo no sábado que a suspensão de sanções impostas pelo Ocidente sobre a Rússia é parte das negociações de paz, que segundo ele estão difíceis, mas continuam diariamente por videoconferência.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyi, insiste desde que a invasão russa começou no dia 24 de fevereiro que as sanções precisam ser fortalecidas, e não podem ser parte das negociações. Ele disse na sexta-feira que há um risco de que as negociações serão encerradas por conta do que chama de "manual russo de assassinar pessoas".

A Ucrânia acusa as tropas russas de atrocidades em áreas próximas da capital, Kiev, que foram ocupadas anteriormente. Moscou rejeita as acusações.

Lavrov disse que se os Estados Unidos e outros países da aliança militar ocidental Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estão verdadeiramente interessados na resolução da crise ucraniana, deveriam parar de enviar armamentos a Kiev.

O presidente francês, Emmanuel Macron, disse a Zelenskiy durante uma reunião no sábado que seu país intensificaria o apoio militar e humanitário à Ucrânia.

Em Washington, a proposta do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de um pacote de auxílio de 33 bilhões de dólares para a Ucrânia, incluindo 20 bilhões para armamentos, recebeu apoio dos dois partidos. A presidente da Câmara dos Deputados do país, Nancy Pelosi, disse na sexta-feira que espera que o Congresso aprove o pacote assim que possível.

A Rússia classifica suas ações na Ucrânia como uma "operação especial" para desarmar a Ucrânia e protegê-la de fascistas. A Ucrânia e o Ocidente dizem que a acusação de fascismo não tem fundamentos e que a guerra é um ato não provocado de agressão.

A guerra transformou cidades em escombros, matou milhares e forçou 5 milhões de ucranianos a deixarem o país. Após fracassar na conquista da capital Kiev, a Rússia está focando nas regiões leste e sul da Ucrânia.

Moscou espera retomar o controle total da região oriental do Donbas, composta por Luhansk e Donetsk, partes do país que já eram controladas por separatistas apoiados pela Rússia antes da invasão.

O governo russo afirmou no sábado que suas unidades de artilharia haviam atingido 389 alvos ucranianos durante a noite.

(Reportagem adicional dos jornalistas da Reuters)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos