Ucrânia diz resistir apesar de batalhas intensas em Soledar

Milutar ucraniano ao lado de bateria anti-aérea em Bakhmut

Por Pavel Polityuk

KIEV, Ucrânia (Reuters) - A Ucrânia disse nesta quinta-feira que suas tropas ainda resistem apesar dos combates intensos em um campo de batalha coberto de corpos na cidade de Soledar, no leste ucraniano, onde mercenários russos têm reivindicado a primeira vitória significativa de Moscou em seis meses.

O grupo mercenário ultranacionalista da Rússia Wagner --dirigido por um aliado do presidente russo, Vladimir Putin, fora da cadeia habitual de comando militar--, afirma ter capturado a cidade de mineração de sal Soledar após dias de combates intensos que a deixaram repleta de mortos ucranianos.

Até agora Moscou tem evitado proclamar vitória no local. A Ucrânia reconheceu os avanços russos, mas disse nesta quinta-feira que sua própria guarnição não havia se retirado."A luta é feroz", disse a vice-ministra da Defesa ucraniana, Hanna Malyar, em um briefing nesta quinta-feira, acrescentando que os russos estão "se movendo sobre seus próprios cadáveres".

A Reuters não conseguiu verificar de forma independente a situação em Soledar.

Malyar disse que a Rússia ampliou o número de unidades militares na Ucrânia de 250 para 280 na semana passada, enquanto busca ganhar a iniciativa estratégica.

Observadores do Kremlin tentam digerir a mais recente mudança de liderança no campo de batalha pela Rússia, um dia depois que Valery Gerasimov, chefe do estado-maior do Exército, recebeu de surpresa o comando direto da invasão. O comandante anterior, Sergei Surovikin, foi efetivamente rebaixado e se tornou um dos três assessores de Gerasimov.

Moscou explicou a decisão --pelo menos a terceira mudança abrupta de comando no conflito que já dura 11 meses-- como uma resposta à crescente importância da campanha.

Comentaristas russos e ocidentais veem as medidas como tentativas de transferir a culpa por meses de reveses que fizeram a Rússia perder cerca de 40% do território conquistado desde fevereiro.

Se a Rússia conseguir capturar Soledar, será o maior ganho de Moscou desde uma série de recuos humilhantes no segundo semestre de 2022. Mas especialistas militares dizem que o custo tem sido desproporcional, após batalhas intensas abarrotarem a lama com corpos.

Soledar tinha pouco mais de 10.000 habitantes antes da guerra, e a Rússia não tem sucedido em suas repetidas tentativas de capturar a cidade vizinha de Bakhmut, que é dez vezes maior e bem mais importante.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, zombou da noção de que os ganhos da Rússia representam uma vitória importante.

"Agora, o Estado terrorista e seus propagandistas estão tentando fingir que alguma parte da nossa cidade de Soledar --uma cidade que foi quase completamente destruída pelos ocupantes-- é supostamente algum tipo de conquista da Rússia", disse ele em um discurso transmitido durante a noite.

(Reportagem das redações da Reuters)