Ucrânia diz ter provocado rápido recuo de tropas russas em duas frentes

Integrante das forças ucranianas carrega munição de tanque próximo à linha de frente na região de Bakhmut, em Donetsk. REUTERS/Anna Kudriavtseva

Por Jonathan Landay e Tom Balmforth

KRAMATORSK, UCRÂNIA/KIEV (Reuters) - O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse que os militares de seu país fizeram grandes e rápidos avanços contra as forças russas e libertaram dezenas de cidades no sul e no leste do país na última semana.

"Só esta semana, desde o pseudo-referendo russo, dezenas de centros populacionais foram liberados. Estes estão nas regiões de Kherson, Kharkiv, Luhansk e Donetsk", disse ele em um discurso na noite de terça-feira.

No mês passado, foram realizados referendos sobre a adesão à Rússia em quatro regiões, e Moscou usou o voto esmagador a favor como base para a anexação das regiões de Donetsk, Luhansk, Kherson e Zaporizhzhia. A votação foi amplamente condenada pelo Ocidente como fraudulenta.

Zelenskiy citou oito pequenas cidades em Kherson, na região sul, que teriam sido recentemente recapturadas. A Reuters não pôde verificar de forma independente suas declarações.

Um vídeo divulgado pelo Ministério da Defesa da Ucrânia parecia mostrar a bandeira ucraniana sendo hasteada sobre uma dessas comunidades, Davydiv Brid, em Kherson.

Forças ucranianas retomaram vários povoados em um avanço ao longo do estratégico rio Dnipro na segunda-feira, disseram autoridades ucraniana e um líder apoiado pela Rússia na área.

No leste, as forças ucranianas estão expandindo uma ofensiva depois de capturar o principal bastião russo no norte de Donetsk, a cidade de Lyman, horas depois de Putin proclamar a anexação da província na semana passada.

As forças russas nas regiões de Donetsk e Kherson foram forçadas a recuar nos últimos dias e parecem estar lutando para deter um exército ucraniano cada vez mais equipado com armamentos do Ocidente.

Esperava-se que o presidente russo, Vladimir Putin, assinasse na noite de terça-feira uma lei anexando formalmente as quatro regiões ucranianas. Elas representam cerca de 18% do território da Ucrânia, e Kiev e seus aliados ocidentais dizem que a anexação é ilegal e não será reconhecida.

A Rússia não controla totalmente nenhuma das quatro regiões que reivindica - Donetsk e Luhansk no leste da Ucrânia e Zaporizhzhia e Kherson no sul - e o Kremlin disse que ainda precisa determinar as fronteiras finais do território anexado.