Ucrânia diz ter recapturado território no leste em meio a visita de Blinken com mais ajuda

Antony Blinken visita Ucrânia

Por Pavel Polityuk e Simon Lewis

KIEV (Reuters) - O líder ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, falou de "boas notícias" nos campos de batalha do leste da Ucrânia, dizendo que seu Exército retomou algumas cidades e vilarejos que estavam sob domínio da Rússia, enquanto o principal diplomata dos Estados Unidos visitava Kiev com um grande pacote de ajuda militar.

Em um discurso na noite de quarta-feira, o presidente Zelenskiy disse que suas forças libertaram alguns assentamentos na região de Kharkiv em uma contraofensiva. Alguns analistas ocidentais sugeriram que Kiev pode ter retomado cerca de 400 quilômetros quadrados de território após uma profunda investida atrás das linhas russas.

"Esta semana temos boas notícias de Kharkiv. Todos vocês provavelmente viram relatos sobre as atividades recentes de defensores ucranianos. E acho que todo cidadão (ucraniano) sente orgulhoso de nossos guerreiros", disse Zelenskiy.

A região de Kharkiv faz fronteira com a Rússia e sua principal cidade, Kharkiv, há meses é atingida por mísseis russos depois que Moscou não conseguiu tomá-la nos estágios iniciais de sua invasão em 24 de fevereiro.

Em um sinal de que a situação na área ainda era altamente fluida, Zelenskiy afirmou que era muito cedo para nomear as cidades e vilarejos recapturados ao mesmo tempo em que agradeceu a três brigadas pelo que chamou de bravura.

Uma autoridade russa disse que as forças de Moscou resistiram duramente e impediram que as forças de Kiev tomassem pelo menos uma cidade importante.

Esse avanço ucraniano, se confirmado e os ganhos forem mantidos, seria um impulso significativo para Kiev, que deseja mostrar a seus apoiadores ocidentais que pode mudar os fatos no terreno pela força e merece apoio contínuo.

Há pressão adicional sobre Kiev para demonstrar avanço antes do inverno chegar, em meio a ameaças do presidente russo, Vladimir Putin, de interromper todos os embarques de energia para a Europa se Bruxelas avançar com uma proposta de limitar o preço do gás russo.

Em um incentivo para Kiev, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, chegou à Ucrânia na quinta-feira e deve anunciar 2 bilhões de dólares em novos financiamentos militares estrangeiros para a Ucrânia e outros 18 países em risco de futura agressão russa. Cerca de metade do dinheiro irá para Kiev.

O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, disse na quinta-feira que o presidente Joe Biden também aprovou 675 milhões de dólares adicionais e separados em armas para a Ucrânia, enquanto ele e outros ministros da Defesa se reuniam na Alemanha para discutir como continuar apoiando a Ucrânia no longo prazo.

Os últimos anúncios de ajuda militar elevam a assistência total de segurança dos EUA à Ucrânia para 15,2 bilhões de dólares desde que Biden assumiu o cargo em janeiro de 2021, disse uma autoridade dos EUA.