Ucrânia enfrentará inverno mais difícil até agora, mas meta de reserva de gás deve ser alcançada

Mulher cozinha em fogão a lenha improvisado na região de Donetsk, no leste da Ucrânia

Por Pavel Polityuk

KIEV (Reuters) - A Ucrânia irá enfrentar o inverno mais difícil da história moderna, mas deve conseguir atingir a meta do governo de construir 19 bilhões de metros cúbicos de reservas de gás natural a tempo, afirmou o ministro da Energia do país, German Galushchenko, nesta quinta-feira.

A Ucrânia abandonou as importações russas de gás natural em 2015 e agora obtém seu gás do resto da Europa, mas os preços crescentes e o enorme custo da invasão russa iniciada em 24 de fevereiro colocam em dúvida a viabilidade de acumular uma quantidade tão grande de combustível. A Rússia chama suas ações de "operação militar especial".

Alcançar a meta de reserva de 19 bilhões de metros cúbicos pode tranquilizar os ucranianos que se preparam para um inverno difícil de guerra e de séria escassez de energia, já que o gás natural é amplamente utilizado para aquecer residências.

"Acho que durante esta temporada chegaremos mais ou menos a 19 bilhões", disse Galushchenko à Reuters, observando que o país precisa de parte desse volume de gás como garantia em "situações críticas".

O governo não divulga suas estimativas de consumo doméstico de gás, mas Galushchenko disse acreditar que há combustível suficiente para passar o inverno.

Mas ele previu que o inverno iminente será o pior da Ucrânia desde que o país conquistou a independência da União Soviética em 1991.

"Não há dúvida sobre isso -- e não apenas para a Ucrânia, mas também para a Europa. Haverá desafios que a Europa nunca viu antes", afirmou.